sexta-feira, 28 de outubro de 2005

O destino

" Um mercador de Bagdad enviou o seu criado ao mercado comprar provisões. Passado algum tempo, o criado voltou, pálido e a tremer, e disse:
- Meu amo, quando eu estava no mercado, no meio da multidão, houve uma mulher que me empurrou e, quando me virei, vi que quem me empurrou foi a Morte. Ela olhou para mim e fez um gesto de ameaça. Por favor empreste-me o seu cavalo para eu poder fugir da cidade e evitar o meu destino. Irei para Samarra e, ali, a Morte não me encontrará.
O mercador emprestou-lhe o cavalo e o criado montou-o, cravou-lhe as esporas e afastou-se à maior velocidade que o cavalo conseguia galopar.
Pouco depois, o mercador foi até ao mercado e, quando viu a Morte no meio da multidão, dirigiu-se a ela e perguntou:
- Por que é que fizeste um gesto de ameaça ao meu criado quando o viste esta manhã?
- Não foi um gesto de ameaça - respondeu ela - foi simplesmente de surpresa. Fiquei espantada de o ver em Bagdad, pois tenho um encontro com ele esta noite em Samarra."

Lenda árabe encontrada no livro "Quem conta um conto..." de Jeffrey Archer

5 comentários:

Abelha Maia disse...

Olha, muito giro o teu blog... do mesmo género do meu, quem diria... deve ser por sermos as duas profs... LOL

CP disse...

Esta lenda é maravilhosa.
Há coisas das quais não adianta fugirmos.
Bom fim de semana.

AJFF disse...

Uma das histórias mais curiosas que já li. A morte não espeara por ninguém.

eco de mim disse...

podemos fugir das coisas uma x, mas, mais cedo ou mais tarde o inevitável acontece!

badger disse...

Vim retribuir a visita.... e dizer que tb tens muita coisa interessante pelo teu blog!!!
Vou voltar mais vezes... até porque já linkei o teu blog (ops!)!!!

Parabéns e Obrigado!!