quinta-feira, 15 de março de 2007

Dia Mundial do Consumidor

CONSUMO SUSTENTÁVEL: O QUE É?
É saber usar os recursos naturais para satisfazer as nossas necessidades, sem comprometer as aspirações das gerações futuras.Isto é, adquirir o necessário para uma vida normal, minimizando o desperdício e a quantidade de resíduos produzida. Porque quanto menor for a nossa Pegada Ecológica, menor é o impacto negativo sobre o nosso planeta. E isto não exige um grande esforço da nossa parte, apenas mais atenção com a protecção do meio ambiente. Por outras palavras, é crucial para o bem comum não gastarmos mais do que o estritamente necessário no nosso dia-a-dia, por forma a minimizar os desperdícios e, consequentemente, a produção de resíduos (i.e., lixo). Se assim for, todos sentiremos os resultados positivos de um comportamento responsável, deixando às gerações futuras um património ecológico que podem e devem continuar a preservar.


www.consumosustentavel.com
www.deco.proteste.pt
www.lipor.pt

2 comentários:

Rui Luís Lima disse...

olá

se gostas de cinema vem visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente

paula e rui lima

Anónimo disse...

era tão bom que fosse assim tão simples. E mesmo isso tão simples é tão complicado.

O que é o estritamente necessário?
O que é minimizar os desperdícios e a quantidade de resíduos produzida?
O que é uma vida normal?

Mais, vamos sentir os resultados positivos? Hoje? Amanhã? Não vamos não, não vamos sentir nada. E hoje o dia teve particularmente bonito e não foi por eu não ter mandado CFC's para o ar.

Mas por não sentirmos não quer dizer que não exista, é sim, uma influência lenta e gradual, quer seja no bom ou no mau sentido.

O hype dos ecologistas só envergonha a comunidade científica séria, a ligação do Al-Gore à causa é infeliz.

Muita coisa há para ser estudada, e como é normal neste caso, há sempre fanáticos e ecologico-paranóicos.

O difícil é exactamente definir o meio-termo, e foi isso que não fizeste no texto. Não definiste o que é aceitável, nem o que é uma vida normal, não o que é o estritamente necessário.

Um fanático ao ler o que escreveste pode interpretá-lo como uma vontade de regredir tecnologicamente ou de instaurar uma paranóia tal que limite as possibilidades de investigação e aplicação tecnológica. Ou seja, pode interpretar isso como uma coisa ideologia de consequências do tipo mormon e tal.